Dicas para controlar custos em Cloud Computing

1024 356 Microservice

Neste artigo traremos algumas práticas para administração de seu ambiente em Cloud Computing independente do provedor escolhido por você ou sua empresa. As dicas abaixo têm a intenção de auxiliar a evitar custos desnecessários em cloud computing ou diminuir custos já existentes, porém inflados por falta de conhecimento administrativo.

A utilização de infraestrutura em nuvem é para muitas empresas uma saída financeiramente vantajosa quando se comparado ao custo de se manter um Data Center local, que tem gastos com: contas de energia, manutenção predial em geral, manutenção dos equipamentos internos, equipe para administração, compra para renovação de equipamentos obsoletos e falta de poder de processamento.

Outro ponto importante,  é que em muitos Provedores de Nuvem o “cartão de visita” ofertado aos clientes é a escalabilidade instantânea sem custos adiantados, com o pagamento sob-demanda, possibilitando a empresa disponibilizar um ambiente de desenvolvimento ou à um novo cliente o ambiente para se trabalhar com poucos cliques e em minutos.

Como sabemos, nenhuma solução e livre de falhas. Na computação em nuvem utilizamos a conversão do USD$ e como toda moeda, ele tem seus altos e baixos, por conta da instabilidade econômica global, o que nos pode levar sofrer um aumento nos custos em alguns meses.

ORGANIZAÇÃO

Sim, organização, se seu ambiente na nuvem segue as boas práticas de organização, utilizando TAG’s ou separando por grupo de recursos facilita muito uma visão consolidada de seus custos, se você não tem essa prática em seu ambiente, descobrir quem é o vilão de sua conta ficará difícil.

Você também pode se interessar por este conteúdo: 👉 Docker: O que é? Como usar? Serve pra mim?

MONITORAMENTO

Outra questão que muitas empresas não dão valor, mas um ambiente bem monitorado evita o desperdício de recursos, uma vez que você consegue uma visão referente ao consumo real em uma linha de tempo do seu ambiente fazendo assim possível efetuar um down-scale do serviço ou a desativação do mesmo em momentos sem acesso, evitando a cobranças sem necessidade.

AUTOMAÇÕES

Esse tópico é um grande aliado no quesito “economia” em cloud. Já que todos os provedores aceitam automações em algum nível, temos que aproveitar estas ferramentas,  gerando rotinas que reduzam os custos, seja por exemplo diminuir o tamanho de VM’s ao mínimo tolerável durante a noite por baixa demanda ou até mesmo desativando serviços por completo durante finais de semana pois a empresa não trabalha nesta escala.

LIMITES

A configuração de limites em cloud é importante dependendo do serviço. Algumas empresas que fizeram a migração de seus WorkLoads para a nuvem fizeram a configuração de serviços de escalabilidade automático, porém muitas destas empresas não fazem a correta configuração dos limites do serviço, o que gera um desperdício pois a má configuração pode criar um ambiente enorme sem necessidade ou sem a regra correta para voltar ao tamanho original. SEMPRE TOME CUIDADO com as configurações segundo as boas práticas e manuais fornecidos pelo provedor sobre o serviço.

OBJETIVO FINANCEIRO/BUDGET

Ter um objetivo financeiro bem alinhado com sua diretoria ou departamento financeiro facilita o trabalho. Saber o quão agressivo você tem que ser lhe dará um foco no que tange esforço para economia, muitas vezes o objetivo muito agressivo envolve paradas no ambiente e/ou mais tempo no desenvolvimento da solução.

RESERVAS DE PERFORMANCE/MÁQUINAS

Uma vez que o ambiente já é estável e todos os pontos apresentados acima foram verificados podemos trabalhar com as famosas reservas. Trabalhando com reservas de máquinas é possível termos uma diminuição de até 70% nos custos anuais do dispositivo. Saber trabalhar com reservas é vital para um ambiente de cloud sadio já que conseguimos “blindar” o faturamento a um ponto no tempo no quesito dólar e efetuamos o pagamento de um valor fechado na fatura seja em uma única parcela ou com divisão em meses do valor, evitando surpresas. Vale lembrar que dependendo do provedor de nuvem que sua empresa trabalha é necessário efetuar o pagamento da reserva adiantado.

Muitas empresas esquecem da importância dos tópicos acima citados, logico que existem diversas abordagens que podemos trabalhar para gerar essa economia, como trabalhar em uma engenharia de software, migração para outra família de hardware entre diversas outras ações.

Cada caso deve ser considerado individualmente pois os objetivos de cada empresa são exclusivos e com isso a receita de uma empresa não pode ser aplicada de forma geral.

 

Paulo Frugis Neto

Arquiteto de Soluções Cloud Computing | P.O  | Tech lead

 

MATRIZ - BLUMENAU / SC (47) 3322-2343   |  DEMAIS LOCALIDADES:   SP (11) 4063-8108 | RJ (21) 4063-3343 MG (31) 4063-7161 PR (41) 4063-7161 RS (51) 4063-7161 PE (81) 4062-9072