ITIL: saiba como implementar a gestão de mudança

1024 356 Microservice

Você já deve ter ouvido alguém falar a frase: “Preciso mudar meu servidor físico de produção para a nuvem, mas meu ambiente não pode parar!”. Afinal, este é um cenário cada vez mais comum nas áreas da TI com a propagação da Cloud Computing pelo mundo.

Então, como posso fazer isto sem que a minha infraestrutura sofra uma parada de horas para realizar esta mudança? A resposta é o gerenciamento de mudança estabelecido pela ITIL  (Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura de Tecnologia da Informação).

Assim como a migração de um servidor, existem diversos outros exemplos de mudanças que precisam ser feitas nos ambientes de TI. Para que elas ocorram sem impactos significativos nos processos da empresa, é importante que elas sejam feitas dentro de uma metodologia adequada e a ITIL é uma das melhores opções.

Muitos profissionais ainda consideram difícil a implementação da gestão de mudança de acordo com a ITIL, mas ela pode ser aplicada com êxito, para isso bastam conhecimento e preparo do time de TI e ferramentas de tecnologia da informação.

Antes de partir para a implantação da mudança é preciso verificar quais as ações de alterações que precisam ser feitas dentro da empresa. Se existem várias demandas ao mesmo tempo, é necessário definir prioridades e fazer um planejamento.

É importante saber porque é necessário implantar aquela mudança e ter consciência da necessidade de fazer isso de forma adequada. É preciso definir quais as pessoas, processos e tecnologias envolvidas. E quais as consequências que essa mudança pode trazer, tanto as positivas, como determinadas melhorias, quanto os possíveis impactos negativos, para que eles sejam evitados ou mitigados.

Para entender melhor na prática como este processo funciona, vamos lhe ajudar com 4 passos para implementar a gestão de mudança:

1º passo:

Primeiramente, é fundamental mapear todos os inventários que suportam a TI: nome dos servidores físicos, virtuais, bancos de dados, licenças de software, firewall, equipamentos de rede, etc. Os endereços IP´s de cada item da TI, os protocolos de segurança, links de internet que sustentam o negócio, equipamentos VOIP, etc.

2º passo:

Também é preciso ter uma ferramenta de tecnologia da informação para cadastrar os inventários de TI e que tenha o processo de mudança já pré-definido.

3º passo:

Nesta etapa deve-se desenhar o processo de gestão de mudança, determinar pessoas chave que a realizarão e determinar alguns critérios:

  • Quem pode iniciar um processo de mudança no ambiente?
  • Quem poderá executar uma mudança?
  • Qual é o comitê de mudança que fará a aprovação do processo?
  • Quando é possível iniciar o fluxo? Definir dias e horas específicas para aplicação da alteração no ambiente
  • Quais tarefas serão executadas durante o processo para cada item da TI mapeado?

É importante estabelecer com clareza as responsabilidades de cada participante da gestão de mudança. Assim, cada pessoa sabe exatamente o que deve fazer e pelo que será cobrada.

4º passo:

No passo final, devem ser criados atributos chaves para cada nova mudança cadastrada e assim iniciar o processo:

  • Qual será o tempo gasto para a execução da mudança?
  • Qual é a data da alteração a ser realizada?
  • Plano de comunicação, caso algo alguma irregularidade na mudança
  • Plano de recuperação de ambiente/Rollback. Caso a mudança não tenha sido executada com sucesso, preciso voltar o ambiente anterior e planejar uma nova data
  • Quais sistemas, servidores, links de internet, firewalls serão impactados durante a mudança? (Por isso é importante mapear o ambiente da TI)
  • Qual será o item da TI que sofrerá com a alteração?
  • Ter um plano de teste após o sucesso da mudança.
  • Qual é o plano de contingência, caso o ambiente produtivo esteja sofrendo a alteração?

Você também pode se interessar por este conteúdo: 👉 Mantenha os sistemas e as aplicações da sua empresa seguros e disponíveis com este e-book!

Estes quatro passos básicos podem garantir o sucesso daquele exemplo lá do início do post: o ambiente físico é transferido sem maiores problemas! Isto porque existe um plano de contingência que é invocado para não ter paradas no ambiente produtivo. Há também um plano de rollback, caso haja algum transtorno no processo de mudança. As pessoas da empresa estão informadas sobre quais sistemas que estavam no servidor físico podem sofrer uma perda de performance, pois a contingência foi acionada.

São muitos itens que podem ser controlados com o fluxo de mudança. Por isso, a implementação do processo de gerenciamento de mudança é algo muito valioso, tanto para a empresa ou prestadora de serviço de TI. Se bem aplicado, ele oferece muita visibilidade e controle sobre o ambiente. A garantia de qualidade nesse fluxo é algo que agrega muito valor ao negócio.

Com a implantação adequada da gestão de mudanças e garantia de qualidade neste processo, a TI agrega muito valor ao negócio e se mostra como estratégica para a organização.

Você precisa de ajuda para implantar a gestão de mudança da ITIL? Fale com os especialistas da Microservice.

 

MATRIZ - BLUMENAU / SC (47) 3322-2343   |  DEMAIS LOCALIDADES:   SP (11) 4063-8108 | RJ (21) 4063-3343 MG (31) 4063-7161 PR (41) 4063-7161 RS (51) 4063-7161 PE (81) 4062-9072