Boas práticas de gestão de risco

Conheça boas práticas de Gestão de Riscos

A Gestão de Riscos adequada e que garanta a segurança de informação deve ser feita de modo sistemático e estruturado. É importante seguir ações efetivas de acordo com um planejamento bem elaborado.

Neste post,  indicaremos algumas boas práticas de Gestão de Riscos que podem colaborar com a proteção das informações na organização.

Entenda mais sobre  O conceito de Governança da Segurança da Informação. 

Faça um levantamento das vulnerabilidades

Abordar com clareza a incerteza é um dos princípios da Gestão de Risco. E para descobrir quais são as incertezas, é preciso fazer um levantamento das vulnerabilidades que existem na empresa.

As vulnerabilidades representam aspectos mais técnicos que deixam a empresa aberta às ameaças. Por exemplo, um servidor web que está desatualizado, um firewall que não tem a gestão centralizada, o uso de um dispositivo externo sem uma política adequada de BYOD (Bring Your Own Device).

Existem inúmeras possibilidades de vulnerabilidades em uma empresa e tudo depende do nível de tecnologia no qual ela está inserida. Há também relação a aspectos externos, incluindo até mesmo sua localização física.

Veja 9 vulnerabilidades que as empresas têm e nem percebem. 

Verifique o impacto gerado

Uma vulnerabilidade que não causa qualquer impacto na empresa é apenas uma vulnerabilidade. Por exemplo, um servidor desatualizado, mas que não tem mais qualquer ligação com a rede. Mas a partir do momento que essa vulnerabilidade pode causar um impacto negativo, ela se torna um risco para o negócio. Então é preciso agir.

Nessa fase, é importante conhecer todos os riscos, avaliar a possibilidade de ocorrência, quais as consequências a empresa e classificá-los por nível de criticidade.

Quer saber como analisar riscos e como evitar os possíveis problemas aqui.

Defina as formas de controle

Com os riscos analisados, é hora de definir as formas de controle para que eles sejam eliminados ou ao menos mitigados. Mitigar o risco significa reduzir ao mínimo, para que tenho o menor impacto possível, já que ele não pode ser completamente evitado.

Se você ainda não faz a Gestão de Riscos, comece já com as nossas dicas. Clique aqui. 

Essas formas de controle devem fazer parte dos processos gerais da empresa. Com todas as ações definidas e estabelecidas, a organização garante sua capacidade de reagir quando algum ataque ou incidente ocorrer.

Participe da definição de investimentos

A Gestão de Riscos tem que fazer parte do processo decisório da empresa. É a partir da definição dos riscos e dos impactos que eles podem ter na companhia que pode ser feito um direcionamento mais adequado dos investimentos em segurança.

Dessa forma, a Gestão de Riscos ajuda a criar valor para a empresa, garantindo a prevenção de prejuízos que poderiam ser provocados por problemas de segurança da informação.

Monitore e acompanhe os procedimentos

A Gestão de Riscos é um processo de melhoria contínua e não pode parar somente na definição dos riscos, das formas de controle e na realização dos investimentos.

Os riscos precisam ser monitorados e reavaliados com regularidade, pois novas possibilidades surgem na mesma velocidade em que se desenvolve o mundo tecnológico.

Fazer a Gestão de Riscos de forma estruturada pode se bem mais eficiente e trazer melhores resultados. Na sua empresa, isso já é feito deste modo? Quer saber mais? Fale com nossos especialistas.

Nosso objetivo é proporcionar a solução mais eficaz para as demandas de nossos clientes, garantindo o uso das melhores tecnologias para a conquista de resultados expressivos e sustentáveis.

Newsletter

cadastre-se na nossa newsletter e receba conteúdos no seu e-mail