backup corporativo

Backup corporativo: 10 dicas para melhorar o processo no seu negócio

Tempo de leitura: 12 minutos

Sem tempo para ler? Ouça este post ou baixe para ouvir mais tarde

Não há dúvidas: quando o assunto é a segurança da informação nas empresas, assumir uma postura proativa na TI é o caminho. Muito mais eficaz (e econômico) do que remediar desastres e minimizar os danos, investir na prevenção estratégica é o que define a capacidade de uma empresa de manter a fluidez das suas atividades em cenários desafiadores. Nesse ponto, entra em cena um processo preventivo crucial: o backup corporativo

Ao realizar e armazenar cópias de segurança dos dados necessários para as rotinas de trabalho, o backup exige atenção, planejamento e monitoramento contínuos para entregar a proteção adequada. 

Mas afinal, como incrementar e garantir a eficiência do processo? Para te ajudar, listamos 10 dicas valiosas a seguir. Vamos lá? 

Proteção garantida: 10 dicas para melhorar o backup corporativo no seu negócio 

backup corporativo

1. Mantenha a consistência e a previsibilidade 

Como qualquer outro processo da empresa, o backup corporativo exige a aplicação de rotinas consistentes para resultados bem-sucedidos, além de testes frequentes baseados em regras padronizadas. Com essa clareza, é possível assegurar a eficácia da tarefa caso ocorram incidentes de segurança, minimizando bastante a dor de cabeça se houver a necessidade de recuperação. 

A partir daí, a dica é manter processos documentados que podem ser replicados com facilidade. Esse cuidado reduz o tempo de resposta, os custos com suporte e, em última análise, o tempo de inatividade ou paralisação em situações de falha. 

Aqui, vale resgatar a regra 3-2-1 do backup, uma abordagem interessante para os negócios: mantenha ao menos 3 cópias dos dados, armazene as cópias em pelo menos 2 tipos de mídia e deixe uma das cópias armazenada em um local/servidor remoto. 

2. Elabore uma Política de Backup 

Por falar em consistência e padronização, aqui vai uma dica básica (mas que ainda é negligenciada por muitas empresas): documentar todas as etapas do procedimento, esclarecendo as regras e orientações para cada tipo de dado e aplicação, faz toda a diferença. Para organizar o conteúdo, o guia é a Política de Backup. 

Se seu negócio já conta com o documento, a dica é revisar e verificar o que pode ser melhorado, corrigido e renovado. 

Para recapitular o conceito, a Política é um conjunto de diretrizes relativas ao armazenamento de dados na organização, envolvendo todo o ciclo de gerenciamento das informações. 

Entre os pontos abordados no documento, estão: 

  • os dados que precisam ser copiados e armazenados, em nível de importância;
  • a frequência do backup corporativo;
  • tecnologias e ferramentas utilizadas;
  • tipo de backup empregado (diferencial, incremental ou completo);
  • métricas de acompanhamento;
  • definição dos responsáveis. 

Saiba Mais ? Política de backup: o que é e como fazer? 

3. Elenque os dados corporativos por prioridade 

Ter clareza acerca dos dados e aplicações mais críticos e estratégicos para o negócio é primordial – e essa definição deve constar na Política de Backup. A partir de uma classificação por prioridade, é possível definir a ordem de recuperação, com foco nos documentos e serviços mais utilizados e relevantes. 

4. Vantagens da cloud: aposte no backup em nuvem 

Uma solução completa de backup corporativo deve abranger bancos de dados e aplicações, armazenando as informações em ambientes de alta disponibilidade. Automatização de processos, redução de riscos e padronização das rotinas (centralizando os dados em um local de fácil acesso) são outros requisitos importantes. 

Nesse sentido, o backup em nuvem vai ao encontro de todas essas demandas, sendo um componente indispensável de uma estratégia de cópias de segurança nos dias atuais

Aliando acessibilidade e mobilidade (os dados permanecem disponíveis a qualquer momento e de qualquer lugar, bastando ter conexão à internet), escalabilidade e modelo de pagamento por demanda (os custos são calculados com base no espaço e nos recursos utilizados), a cloud garante alta proteção e automatização das rotinas de backup. 

5. Esclareça as métricas de RTO e RPO 

Altamente estratégicas para o backup corporativo, os parâmetros de RTO e RPO permitem  minimizar as perdas em caso de desastres, considerando as demandas específicas de cada empresa. Dessa forma, é possível evitar atrasos e executar a recuperação com mais precisão e agilidade. Veja: 

  • RTO (Recovery Time Objective): define o tempo máximo tolerado para que um sistema ou aplicação retorne à operação após uma pane ou paralisação. Em outras palavras, quanto tempo um determinado sistema pode ficar fora do ar sem prejudicar significativamente a empresa? 
  • RPO (Recovery Point Objective): calcula o ponto de recuperação adequado, ou seja, a quantidade limite de dados que o negócio toleraria perder em caso de falhas ou paralisação. 

Confira também as dicas acima explicadas por nossa BDR, Gabriela Sens.

6. Teste as velocidades de recuperação 

A resiliência dos negócios está diretamente associada a esta questão: em qual velocidade é possível acessar as informações armazenadas? 

Essa capacidade, de fato, é definitiva para continuar a oferecer os serviços essenciais diante de um desastre ou incidente de segurança. Na prática, deve-se conseguir acessar as informações (ou recuperá-las) no menor tempo possível. Isso significa que a velocidade de recuperação deve se manter alta o bastante para que os processos-chave permaneçam estáveis em circunstâncias adversas. 

7. Sempre que possível, remova os arquivos duplicados 

À medida em que novos documentos são criados nas empresas, o backup (e, em consequência, o espaço gasto) também aumenta. Para otimizar a capacidade de armazenamento, é importante monitorar a ocorrência de backups duplicados. 

Isso envolve o uso de soluções de duplicação de dados, que removem as cópias obsoletas de arquivos (realizadas quando não houve alterações nos documentos, por exemplo) e mantêm somente as necessárias. 

8. Utilize criptografia 

Fundamental para o backup corporativo, a criptografia é uma barreira de proteção adicional aos dados, atuando como uma etapa dificultadora ao acesso hacker. 

Esta, aliás, é a principal vantagem da tecnologia: ainda que os cibercriminosos consigam invadir a rede e acessar as informações, elas não poderão ser utilizadas para fins maliciosos, uma vez que estarão protegidas por chaves criptográficas. 

Vale mencionar que a ferramenta é uma grande aliada das estratégias de cloud backup. 

9. Realize auditorias periódicas do backup corporativo 

Para dizer sem rodeios: sem avaliações e testes periódicos, o backup pode se tornar até mesmo inútil. De nada adianta criar diversas cópias de segurança em diferentes locais de armazenamento, automatizar as rotinas e deixar o processo de lado. 

E se, no momento da recuperação, as informações estiverem desatualizadas, corrompidas ou simplesmente não funcionais? 

Para garantir o sucesso e manter a tranquilidade em relação ao procedimento, realizar auditorias periódicas é essencial. Na ocasião, deve-se avaliar a eficácia de todos os pontos contemplados na rotina, examinando questões como: 

  • confiabilidade do processo de recuperação/restauração;
  • segurança do armazenamento;
  • detecção e correção de possíveis falhas;
  • análise das evidências de periodicidade, garantindo que os backups são realizados na periodicidade desejada. 

10. Conte com parceiros especializados 

Com base em tudo o que conferimos neste artigo, não resta dúvidas: os procedimentos de backup não devem ser realizados apenas por recomendação ou obrigação. Um processo sólido e bem-sucedido exige gestão, monitoramento, estratégia e expertise

Em meio às rotinas de trabalho e as prioridades relacionadas ao core business, é comum que as empresas não contem com a disponibilidade, a infraestrutura ou mesmo o nível de especialização necessários para guiar o backup corporativo. 

Nesse cenário, terceirizar a tarefa, confiando-a a parceiros especializados, é a opção de cada vez mais negócios. Além de garantir a eficácia das cópias de segurança, as empresas podem focar seu tempo e seus esforços em tarefas estratégicas para o crescimento corporativo. 

Conclusão 

Muito mais do que um “procedimento formal”, o backup corporativo deve ser encarado como um pilar definitivo para a sobrevivência do negócio diante de falhas de segurança e situações inesperadas.

Acima de tudo, é importante que os gestores não percam de vista o planejamento para tais possíveis desastres, considerando as necessidades específicas da empresa e o nível de criticidade das suas informações. 

E então, gostou do conteúdo? Esperamos que as dicas sejam úteis para implementar melhorias práticas no seu backup corporativo! Conte conosco nessa jornada e fique de olho nas novidades do blog! 

Nosso objetivo é proporcionar a solução mais eficaz para as demandas de nossos clientes, garantindo o uso das melhores tecnologias para a conquista de resultados expressivos e sustentáveis.

Newsletter

cadastre-se na nossa newsletter e receba conteúdos no seu e-mail