investimento em seguranca da informacao

Investimento em segurança da informação: por onde começar?

Tempo de leitura: 20 minutos

Sem tempo para ler? Ouça este post ou baixe para ouvir mais tarde

No Brasil, é comum que as pequenas e médias empresas em geral não se preocupem com o investimento em segurança da informação – isso porque acreditam que não são um alvo desejável para os cibercriminosos. As estatísticas, entretanto, provam o contrário: um estudo da Keeper Security mostra que, enquanto 66% das PMEs não acham que serão vítimas de um ataque, 67% delas sofreram um incidente somente em 2018. 

Vale lembrar, ainda, que a própria descrença equivocada dos negócios de menor porte os transforma em um foco ainda mais visado pelos hackers. Afinal, quanto menores os esforços para aumentar a proteção, maiores serão as vulnerabilidades! 

De fato, se o investimento não é visto como prioridade, um único ataque pode prejudicar as operações de tal maneira que pode até mesmo encerrar as atividades da empresa, seja pelo prejuízo causado com perdas em seu banco de dados (como o roubo ou sequestro de  informações e paralisação dos sistemas) ou por falhas de hardware, para citar alguns exemplos. 

O erro central, aqui, está em lançar mão de ações corretivas e não preventivas, ou seja, agir somente depois que a empresa já sofreu um ataque ou falhas técnicas. 

A seguir, saiba por que o investimento em segurança da informação é tão crucial para empresas de todos os portes e segmentos, além de conferir nossas dicas para começar a investir do jeito certo! 

Recapitulando: os 3 pilares da segurança da informação 

Antes de abordar as ações principais para começar a investir em segurança da informação, vale a pena recapitular os 3 pilares-chave do conceito, que reforçam ainda mais a importância crescente da área nas organizações. 

Se não há como negar que promover a cibersegurança é um dos maiores desafios para qualquer empresa, conceder proteção e estratégia na gestão dos dados, mais do que nunca, é vital para atingir um crescimento sustentável. 

É preciso considerar, afinal, que se há alguns anos o patrimônio físico de uma empresa exigia uma proteção reforçada, hoje as informações digitais são verdadeiros tesouros! 

Com isso em mente, ao se encarregar de proteger os dados corporativos durante todo o seu ciclo de vida, o investimento de segurança da informação vai se guiar pelos seguintes pilares: 

Confidencialidade 

É o pilar que garante que a informação esteja acessível APENAS para as pessoas autorizadas, que realmente necessitam do acesso. Em outras palavras, a permissão estará vetada aos indivíduos, processos ou entidades que não contam com autorização explícita para visualizar ou editar esses conteúdos. 

Integridade

De maneira geral, a integridade assegura que os dados não podem ser modificados sem autorização. Dessa forma, a veracidade dos dados continua mantida. 

Afinal, caso aconteça alguma alteração indevida ou não planejada, as informações podem ser afetadas, se tornarem incorretas e terem então sua integridade comprometida. 

Disponibilidade 

É simples assim: sem disponibilidade constante dos dados, não há eficiência nos processos de trabalho, não há entregas bem realizadas e não há o correto atendimento ao cliente. 

Este pilar da segurança da informação, em poucas linhas, garante que os dados e sistemas poderão ser acessados pelos usuários sempre que necessário

Vale destacar que a interrupção das atividades da empresa leva à perda de produtividade, prejuízos financeiros e comprometimento da reputação do negócio no mercado. 

Nesse cenário, é importante ter em mente que a segurança da informação não apenas habilita a proteção contra invasores externos, mas também o acesso eficaz à informação no próprio ambiente interno da empresa

Dessa forma, a organização ganha em proteção e eficiência em todas as frentes, uma vez que os dados se manterão disponíveis, íntegros e seguros, criando o suporte para melhorar os processos e rotinas do dia a dia. 

Afinal, por que priorizar o investimento em segurança da informação?

investimento em seguranca da informacao

Falando de forma direta: o custo de não investir em Segurança da Informação é muito maior do que investir. Segundo levantamento da National Retail Federation, cerca de 90% das invasões são direcionadas aos sistemas de pequenas e médias empresas. Após um ataque, esses negócios sofrem altos prejuízos devido à perda de dados e/ou custos extras para lidar com o incidente, além de danos de imagem e a consequente perda de confiança de parceiros e clientes.

Para fazer um paralelo, podemos mencionar que muitas empresas possuem contrato com um escritório para contabilidade e folha de pagamento, por exemplo, uma vez que esses parceiros já têm a estrutura necessária para a tarefa e oferecem uma solução mais efetiva, econômica e que atenderá as necessidades do negócio. Então, por que não pensar em contratar serviços especializados da mesma maneira para segurança da informação?

Confira 5 motivos inegáveis para priorizar o investimento em segurança da informação: 

Redução de vulnerabilidades e impactos financeiros 

Toda e qualquer empresa está sujeita a brechas, vulnerabilidades e incidentes de segurança, sejam eles ameaças externas (como golpes e ataques hacker) ou internas, a exemplo de erros dos funcionários no dia a dia. 

Nesse sentido, priorizar o investimento em segurança da informação significa atuar preventivamente para minimizar os riscos existentes, antecipar cenários e definir planos e políticas que permitam uma rápida recuperação em caso de falhas e incidentes. 

Dessa forma, investir com inteligência e antecedência possibilita não apenas evitar problemas operacionais e de imagem, como também reduzir os danos e o impacto caso as ameaças se concretizem. 

Aumento da vantagem competitiva 

É importante ter em mente que fortalecer as práticas e mecanismos de segurança da informação colabora diretamente para uma TI mais estratégica. Com a garantia da integridade e da disponibilidade das informações, é possível criar um suporte efetivo para a tomada de decisões, a análise de insights e a melhoria contínua dos processos, elevando a inteligência corporativa. 

Os dados, afinal, são os ativos mais valiosos dos nossos tempos, podendo beneficiar todas as áreas da empresa. Ao investir na integridade e na disponibilidade dos mesmos, é possível lançar mão de estratégias e planos de ação voltados à inovação, alavancando a vantagem competitiva do negócio. 

Conformidade com leis e regulamentos 

Outra das faces essenciais da segurança da informação é a conformidade, isto é, orientar a gestão dos dados de modo a garantir que tudo estará alinhado às leis e regulamentos existentes – trata-se de ficar por dentro das regras de compliance

Entre normas de privacidade, integridade e inviolabilidade das informações, o correto gerenciamento das mesmas (incluindo os cuidados de armazenamento) estará contemplado na política de segurança da informação e permitirá manter a adequação à legislação brasileira, com destaque para a vigente Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

Prevenção de paralisações e interrupções nos processos 

É inegável que quaisquer paralisações e interrupções nos processos de trabalho trazem grandes prejuízos à produtividade e, consequentemente, à receita e à eficiência da empresa. 

Segundo o princípio da disponibilidade, o investimento em segurança da informação trabalha para assegurar a continuidade das operações e o acesso constante aos dados críticos para o funcionamento do negócio. 

Afinal, ninguém deseja arcar com os impactos decorrentes de perda de vendas e problemas na qualidade e na agilidade do atendimento, certo? 

Redução da necessidade de retrabalho 

Por sua vez, esse benefício está relacionado à integridade dos dados – uma vez garantida, a correção das informações evita que tarefas precisem ser executadas novamente devido a erros e inexatidão de dados, prevenindo também a necessidade de verificar ou corrigir decisões estratégicas. 

Não é demais lembrar, ainda, que o índice de retrabalho impacta diretamente no desperdício de tempo, esforços e recursos financeiros empregados. 

Investimento em segurança da informação: 10 passos para começar 

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que uma estratégia sólida de segurança da informação não se resume somente a investimentos em equipamentos e softwares, mas também abarca as seguintes frentes: 

  • processos baseados nas melhores práticas de mercado;
  • implementação de ferramentas e métodos;
  • responsáveis qualificados;
  • contratação de serviços especializados de terceiros, caso a empresa não possua recursos ou expertise interna. Dessa maneira, é possível atuar preventivamente e com eficiência na proteção dos seus dados.

Tome nota de 10 passos para começar seu investimento em segurança da informação com eficácia e planejamento, independentemente do porte e do segmento do negócio: 

1. Invista na elaboração de uma Política de Segurança da Informação (PSI)

A Política de Segurança da Informação é um documento que reúne as regras e expectativas em relação a tudo relacionado à segurança, desde senhas até a privacidade do cliente, da proteção física à classificação dos dados. 

Vale acrescentar que o conteúdo do documento, seguindo os 3 pilares já mencionados acima (integridade, disponibilidade e confidencialidade), deve buscar definir regras para o acesso, o controle e a transmissão de informações no negócio. Dessa forma, você terá um embasamento sólido para orientar o investimento em segurança da informação. 

A criação da política, assim, deve assegurar a assertividade dos processos e ser de fácil compreensão para todos os envolvidos (lideranças, funcionários e prestadores de serviço, por exemplo). Entre os tópicos para uma boa elaboração, podemos citar: 

  • definição dos responsáveis para a elaboração;
  • diagnóstico geral dos ativos, processos e vulnerabilidades da empresa;
  • classificação dos dados de acordo com seu nível crítico/de importância, assim como definição das regras de acesso;
  • definição dos processos de trabalho a serem alterados/incrementados para garantir a segurança. 

2. Proteja seus dados e faça backup

Sem dúvidas, a implementação de um procedimento de backup regular e gerenciado é uma das ações mais importantes em se tratando da proteção dos dados (e da própria continuidade das operações).

A definição da correta periodicidade, regras de armazenamento, nível de criticidade dos dados e o monitoramento contínuo devem ser considerados. 

Caso o negócio não conte com o conhecimento, tecnologia ou infraestrutura para garantir a segurança das informações, o ideal é contratar um parceiro especializado, minimizando os custos e maximizando a eficiência

3. Mantenha seus sistemas operacionais e softwares atualizados

Atualize constantemente o sistema operacional, bem como os softwares. A maioria dos ataques ou propagações de vírus ocorre devido a falhas de segurança e pequenas vulnerabilidades, que são verdadeiras portas de entrada para o cibercrime. 

As empresas costumam corrigir tais brechas pouco tempo depois que elas são encontradas, por isso é muito importante você manter seus sistemas atualizados, de preferência de forma automática. Utilize sempre softwares licenciados, uma vez que softwares “piratas” podem não ter acesso a estas atualizações, deixando sua empresa mais vulnerável.

Confira também ? Como otimizar custos com licenciamento de software e hardware

4. Utilize softwares de segurança de forma abrangente

Utilize softwares que mantenham todos os recursos protegidos, incluindo servidores, desktops, notebooks e outros dispositivos conectados. Mantenha seus sistemas de segurança atualizados, programando o update automático para determinados horários. 

É importante, ainda, não esquecer de proteger os dispositivos móveis com Android ou iOS contra malwares. Lembre-se também de adicionar uma camada de segurança para operações bancárias e de pagamento.

Antivírus, firewalls, sistemas de backup, ferramentas de monitoramento de tráfego e detecção de intrusos são algumas das soluções-chave para promover uma proteção abrangente.

5. Defina uma política de senha complexa

Embora pareça uma negligência inofensiva, a ausência de uma forte gestão de senhas pode criar brechas de proteção gritantes e deve ser um foco do seu investimento em segurança da informação. 

Nesse sentido, a Política de Segurança da Informação deve abranger o uso de senhas complexas, bem como critérios de expiração de passwords, para forçar os usuários a mudar suas senhas a cada 90 dias e, quando possível, implementar a autenticação multifator (MFA).

6. Implemente cuidados na gestão dos dados pessoais

Para armazenar informações de clientes e de funcionários, verifique se os dados estão efetivamente seguros e controle as pessoas que têm acesso a tais informações. 

Esse cuidado, vale ressaltar, se torna ainda mais evidente com a necessidade de atender regulações como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) no Brasil

Para gerenciar os dados pessoais e confidenciais, realize backups de forma segura e, caso possua cópias físicas, guarde-as em um local seguro, como um armário com chaves. 

Os equipamentos eletrônicos também devem se manter fisicamente seguros, eliminando as chances de roubo de notebooks ou dispositivos de armazenamento, tais  como pendrives ou HDs externos (principalmente se não estiverem criptografados).

7. Criptografe os dados

Uma forma eficiente de proteger seus dados é codificá-los através de ferramentas que oferecem o serviço. Isso impede que pessoas não autorizadas tenham acesso a informações internas, reservando-as somente para quem pode/precisa acessá-las. 

Selecione o que pode ser criptografado e mantenha as chaves de acesso ao código restritas às pessoas autorizadas.

8. Aposte em segurança avançada de perímetro

A solução de firewall de próxima geração precisa fornecer segurança às conexões VPN, além de proteção avançada contra ameaças e inspeção de alto desempenho de tráfego criptografado para eliminar malwares.

9. Promova a conscientização dos funcionários

A conscientização é essencial para promover o entendimento de todo o time acerca das melhores práticas em segurança da informação. Tal como acontece com outras áreas de segurança, você pode contratar uma empresa especializada em treinamento de funcionários.

A revisão da política da área e das boas práticas deve ocorrer, no mínimo, com periodicidade anual.

10. Considere a terceirização de serviços

Sabemos que o know-how, o tempo e os recursos das empresas podem não ser suficientes para promover todas as atividades acima de forma especializada e segura – principalmente no caso dos pequenos e médios negócios, que muitas vezes precisam lidar com orçamento e ativos limitados. 

Nesse caso, é aconselhável contar com o apoio de uma empresa ou consultoria para garantir aderência dos processos de negócios aos objetivos de segurança da informação. Além de representar um melhor custo-benefício, a ação permite que a equipe permaneça focada no core business do negócio e entregue sua segurança nas mãos de profissionais capacitados e especializados. 

Conclusão

Em resumo, os primeiros passos para fazer um inteligente investimento em segurança da informação envolvem reconhecer as ameaças, ter sistemas atualizados, firewalls, antivírus e realizar backups. De fato, essas são etapas primordiais para obter o mínimo de segurança digital. 

Conexões seguras e criptografia nos sistemas internos e em nuvem também diminuem os riscos aos dados, principalmente nos tempos atuais, em que o trabalho remoto é uma realidade. Mais do que nunca, é importante repensar aspectos relacionados ao compliance e a uma efetiva proteção das informações. 

Aqui, vale ressaltar: é preciso calcular o tamanho do prejuízo que um problema de segurança pode causar. Conforme o valor, você saberá o quanto deve investir para que o problema não ocorra.

Ninguém está isento de riscos, e a única solução é implantar uma mentalidade de segurança envolvendo todas as áreas a partir da alta direção. Melhorar a segurança da informação é fundamental para mitigar os riscos, prevenir o vazamento de dados, preservar a imagem da empresa e garantir o bom funcionamento do negócio. 

Diante desse cenário, cabe às empresas compreender que a informação é um dos seus ativos mais importantes, o que exige a melhoria contínua dos processos e a realização de investimentos para assegurar a confidencialidade, a integridade e a disponibilidade dos dados.

E então, gostou das dicas para iniciar seu investimento em segurança da informação? Esperamos que tenha esclarecido suas dúvidas! Continue a acompanhar o blog para mais novidades sobre o universo da cibersegurança!

Nosso objetivo é proporcionar a solução mais eficaz para as demandas de nossos clientes, garantindo o uso das melhores tecnologias para a conquista de resultados expressivos e sustentáveis.

Newsletter

cadastre-se na nossa newsletter e receba conteúdos no seu e-mail